domingo, 14 de junho de 2009

Viajar é preciso - 4


QUARTO DIA - TERÇA-FEIRA – 09/07/2009

Gaivota, não fique triste, logo, logo, estarei de volta.

Café da manhã numa padaria, em Jurerê. Aproveitamos para passear um pouco. Nenhuma vontade de retornar a Brusque e deixar Florianópolis, a cidade que nos recebeu com carinho, sol e ondas.

Nosso último dia também seria aproveitado. Fizemos o caminho pelo Ingleses para chegar à Lagoa da Conceição, passando por Moçambique, Mole, avenida das Rendeiras.

Fazíamos tudo tão devagar que chegamos no centrinho da Lagoa perto da uma da tarde. Almoçamos num restaurante a quilo que funciona dentro de um pequeno shopping. Durante o almoço, conversamos sobre as possibilidades da tarde. Decidimos que sairíamos da Ilha após às dezenove horas, assim fugiríamos do engarrafamento que ocorre na ponte que liga a Ilha ao Continente.

Mal almoçamos, pegamos o carro e nos dirigimos à Joaquina, parando nas dunas. Alugamos uma daquelas pranchas para surfar na areia, esporte que seria mais praticado por ele. Eu tentei atingir o topo de algumas das montanhas de areia.

No deserto você não consegue esconder nada. Os seus desertos internos afloram. De início há um impacto, quase uma vertigem. Aos poucos, nos acostumamos à ausência de vegetação, à areia no corpo, ao vento e aos passos que se afundam.

Então você passa a compreender a cultura dos povos do deserto, pois se sente um deles. O deserto ensina a força para resistir, superar obstáculos. Conhecendo os próprios desertos você abre a porta para conhecer os dos outros.

Deslumbramento e comunhão com o silêncio. Pés fincados no chão que se move. Assim é a vida: nada é permanente. Manter-se equilibrado sem nenhum suporte, eis o grande aprendizado da jornada entre a vida e a morte.

20 comentários:

vitorinha^^ disse...

bem, nem sei ao certo o que dizer... gostei muito com a forma que se expressa.
beijos a ti... continue

Suzi Daiane disse...

expectadora sou do seu blog, assim delimito-me pq nunca antes havia comentado. Hj saio do anonimato e elogio, pq mereces, escrever aquilo que é tocante, não particularmente emocionante, mas o suficiente e todo completo tb que me faz visitá-la diariamente. Sentia saudades.
Parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

Suzana geralmente tento explicar quando como e por que gosto de um texto mas a respeito desta sua narrativa de "Viajar é preciso" eu vou dizer que...
simplesmente gostei. E muito!
São quatro horas da madruga de uma noite insone e adorei viajar com voces.Talvez eu precise dizer que este último bloco está especial com a metáfora dos desertos. E ainda: a narrativa sobre os homens e os cardumes é muito, muito bonita. Parabéns.Fatima/Laguna

anad disse...

Concordo consigo.Um abraço
Anad

Mantovani disse...

descobri seu blog hoje, seu texto é muito gostoso de ler, muito claro e gentil.
me senti afundando os pés na areia também :-)

parabéns pelo trabalho, linkei você e pretendo voltar aqui mais vezes

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

eu qeu vivo eternamente preso em mim não sei o que é o mundo

Í.ta** disse...

lindos estes escritos da viagem.
parabéns pela ideia ^^

sempre muito bom passar por aqui.

beijo!

Vieira Calado disse...

Nada permanece.
Tudo se transforma.
E tudo passa enquanto nós passamos.

Bjs

Poesias e detalhes... disse...

Que bom que voltou a postar, sempre acompanhava o blog e estava sentindo falta!!!
Parabéns

VP! disse...

exelentes textos!

a forma como você escreve é muito interessante, faz o leitor envolver-se realmente muito bom.

comecei a escrever recentemente, e gostaria de receber críticas e sugestões que me ajudem a melhorar, ficarei feliz com a sua:
vinivinivini09.blogspot.com

Flagrantes Poéticos disse...

Cara poetisa, gostaria de convidá-la a participar do Concurso de Poesias do blog Flagrantes Poéticos. Regulamento no nosso blog: http://flagrantespoeticos.blogspot.com/

Grande abgraço,
Flagrantes Poéticos

Renato Luz disse...

Parabens pelos textos,

São simplesmente lindos, sem muito o que dizer fico grato por poder ler algo de tal qualidade.

Abraços,
Voltarei mais vezes.
Renato

Í.ta** disse...

faz tempo... :/
seus escritos fazem falta.

Lamarque disse...

Quee viagem no tempo, no vento, no espaço - viagei tambébim - Lamarque

Vitor´s disse...

As tardes realmente sâo encantadoras
...
Gostei da imagem que vc espressa em simples escrituras.
Mas fico agora envergonhado por dizer isso..
se vc chagar aler essa mensagem...Pode dar uma olhadinha no meu blog..Não sou mal por favor
vvaraujo.blogspot.com (vertiginosas metamorfoses)
Abraço..

Cynthia Lopes disse...

Suzana, kd vc?
Estou com saudades, e não devo ser a única. bjs

meuspoemasnossosproblemas disse...

oi moça
adorei seu blog ...
linkei vc ...
me linka tb ....
bjus
t+

Neudes de Lucena disse...

Adorei seu Blog. Tudo especial, desde da escolha do título. Vou visitá-lo com frequência e o coloquei-0, no meu Blog, na lista
dos preferidos.
Parabens.

Fundação Cultural Jornalista Osvaldo Lima disse...

Estão abertas até o dia 15 de novembro as inscrições para o XI FestCampos de Poesia Falada, realizado pela Prefeitura de Campos dos Goytacazes-RJ, através da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL). O objetivo é abrir espaço na cidade para que poetas e atores de todo o Brasil possam criar e mostrar seus talentos na arte de escrever e interpretar. As 20 poesias classificadas para a final serão apresentadas no dia 4 de dezembro. A premiação total é de R$ 11.000,00. Regulamento e ficha de inscrição
aqui.

Maurélio disse...

Floripa é tudo de bom, adoro.
Sou descendente de Açorianos que há muito aportaram nesta ilha encantada.
Abraços