segunda-feira, 10 de março de 2008

Galáxias

Cometi um poema
um cometa
sem eira nem beira
na beira da cama

Cometi um cometa
um poema
sem beira nem eira
na cabeceira da cama

Cometemos
o universo todo
numa casca de nós
mesclada

6 comentários:

Regina disse...

Consegues explorar todos os sentidos das galáxias, inclusive os intertextuais.
Ficou lindo!
bj

Vieira Calado disse...

Gostei do jogo das palavras. Cumprimentos

Rubens da Cunha disse...

eu cometi uma invejinha agora :)

anjo disse...

Cometemos a dor de escrever e de ler coisas tão maravilhosas!!

Estás "ligada" no encontro dos cronistas??? ^^
Tomara que dê certo! (o mais metido aqui, que nem perto de cronista chega, mas que vai meter o bedelho) rsrs

beijo,
Í.ta**

Anônimo disse...

Confesso que beiras e cabeceiras
me transportaram a possíveis situações fagueiras
No entretanto pelo adiantado da hora, melhor se não cometera.
Contentar-me-ei em ir até a cozinha
comerinteira uma noz.
Ir deitar para dormir.Talvez sem eira. Muita beira...plena de poeseira.
Bj da Fatima.

carol disse...

Lindo seu poemacometa ou cometapoema!!! Parabéns =)