sábado, 3 de dezembro de 2011

O primeiro poema da árvore

A árvore ouviu o poema das zebras
escrito por Bernardo Texugo
ouviu misturado ao vento
e ao zumbido de um inseto de olhos pontudos

Ouviu que as zebras iam sorridentes
o canto do vento dizia: vamos, vamos

As árvores não vão a lugar algum
os homens, por exemplo,
andam velozes sobre rodas
as zebras correm contentes

As flores caíram na boca dos crocodilos
flores cor de zebra, galopantes,
mergulharam na boca dos crocodilos
cor de sangue

Duas ou três escaparam
e em algum lugar do mundo
nasceram zebras vermelho-sangue

Poema construído como exercício durante a oficina com Carlito Azevedo, em Jaraguá do Sul. Inspirado no poema "A morte e as zebras" de Bernardo Atxaga. A intenção foi colocar a árvore como protagonista e também usar o elemento da metamorfose, trocando zebras por flores nas sensações da árvore.

17 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Suzana,

Interessante esta poesía. A natureza sempre
está próxima das artes, e voce explora bem isso
de forma original neste poema.

Eridanus
(http://ozonioazul-poesia.blogspot.com/)

Gabriel Gómez disse...

Suzana... O nascimento do primeiro "o primeiro poema da ávore", foi naquela oficina...
Agora que já é o segundo, lapidado, continua lindo!
Abraço.

mcon disse...

parabéns pelo poema. somos raros.
http://1milhogrande.tumblr.com/

Joselito de Souza Bertoglio disse...

Muito Lindo o teu Blog concerteza virei mais vezes e se desejar faça uma visitinha no meu ficaria muito grato e honrado com sua visita Um Forte Abraço!!!
http://joselito-expressoesdaalma.blogspot.com/

De coração pra coração disse...

Muito interessante,gostei muito.

Joselito de Souza Bertoglio disse...

Muito bonito o teu blog, com certeza voltarei mais vezes, e se desejar da uma passadinha no meu, me sentiria honrado com a sua visita http://joselito-expressoesdaalma.blogspot.com se gostar dá uma forcinha e segue lá

Leonardo Melo disse...

Sensacional..
vc escreve muitissimo bem... visite tb o meu blog
http://www.insulisdilectio.blogspot.com/

Antonio Félix da Silva Neto disse...

Olá Suzana,

Quero lhe parabenizar pelo belíssimo blog. Estou seguindo-o. Aproveito e convido você a seguir o meu também (umceudepoesias.blogspot.com).

Abraço e até breve!

Daniele Cezar disse...

a árvore deu frutos. teus textos são muito bonitos. parabéns.

vou voltar aqui :)

Poemas Amadurecidos disse...

Gostei muito de tuas palavras... passe pelo meu blog e comente se gostar,abraço.
http://poemasamadurecidos.blogspot.com/

Anjo Canhoto disse...

http://anjocanhoto.blogspot.com/

R.B.Côvo disse...

Gostei bastante desse poema. Abraço.

Poeta da Paulista disse...

Olá, Suzana

Belo poema, gostei muito.
Voltarei a ler o seu blog!

poetadapaulista.com.br

Jéssica do Vale disse...

Interessante sua
forma de poetizar.
Tendo a natureza
como inspiração,
qual resultado
poderia desenrolar?

- A beleza de poesia
que estás a nos
presentear!

valy.02@hotmail.com disse...

muito legal

Darlene C. Silva disse...

Muito bom!

Tandarilho disse...

Essa árvore de ser um pomar hehehe