quinta-feira, 11 de março de 2010

Criança no jardim
Na casa em que nasceu havia um extenso jardim. Imaginem, vocês, aprender as palavras num lugar assim, apontando para a flor e perguntando, e esta, como se chama? Alguém, então, carinhosamente (ou irritadamente) lhe respondendo: rosa, cravo, jasmim. Enquanto ouvia as respostas, a criança sentia as sensações das palavras novas: j-a-s-m-i-m dá uma sensação de veludo na garganta; cravo, uma coisa mais cortada, talvez por causa da música que se aprende do cravo que brigou com a rosa. Coitada da rosa despedaçada.
A criança ouvia a música e tentava entender. Qual motivo havia levado o cravo a brigar com a rosa? Não dava conta de compreender, então voltava a olhar o jardim, onde encontrava outras florezinhas desabrochando.
O mundo das sensações e das palavras. As sensações que as palavras provocam. Deixem-me aqui, pensava, com as minhas sensações. Dêem-me o tempo necessário para ruminar o mundo.

24 comentários:

Í.ta** disse...

que coisa mais linda.

as palavras é que te agradecem por este cuidado tão especial que tens por elas.

grande abraço, suzana.

Henrique de Shivas disse...

>>>
Muito doces as imagens aqui criadas... é sempre bom descrever a infância da maneira mais adequada, e tu fizestes isso com sucesso. Continue assim. Grande Abraço. Assina: Henrique de Shivas.

Cynthia Lopes disse...

Seu conto parece uma pintura, Suzana, que tal um Renoir? Quis dar concretude às texturas, aos sabores, às palavras. Ah este amor as palavrs..., aparece bem nítido aqui. Gostei demais.
bjs

Edigar Barraqui disse...

Olá...gostei muito de seus poemas.
São simples, e por isso há beleza neles.

Se puder, visite meu blog:
www.bocadocoracao.blogspot.com

Medusa disse...

Você escreve bem... bonito mesmo!

Raphael disse...

Seus poemas são primorosos. São tão leves e sutis que chegam a me inspirar melodias. É muito bom ter talentos assim para seguir, para ler e torcer pela publicidade.

Raphael Ramires disse...

Se fosse para classificar, diria que está mais para um poema prosaico do que para crônica. Inspiração modernista, talvez Lispector ou Drumond. Estilo ambientalista, sinestésica, nostalgica. Primoroso.

João Eudes disse...

Jardim. Lugar mágico. Gosto de jardins, locais onde podemos sentir a beleza da vida.

Medusa disse...

uai faz tempo q nao escreve...

jefhcardoso disse...

Olá Suzana! Esta semana estou divulgando uma “nova” postagem. Trata-se de um conto; que na verdade vem a ser uma reedição de meu blog. Sua postagem original ocorreu em 13.02.09; sendo esta a minha terceira postagem no blog. Naquela ocasião este texto não recebeu nenhum comentário. O texto é “O Sr. e o Dr.”. Espero que você, tendo um tempinho, o aprecie.
Um grande abraço, minha gratidão e desejo que tenha uma ótima semana!

Jefhcardoso

Gigi disse...

Linda prosa poética...encantadora...e que nos faz pensar...ou ruminar :)

Maria Regina disse...

O encanto da infância e suas descobertas, para mim, são parecidas sensações de quando se escreve, e palavras se formam.
Bonitos escritos.
Um abraço

Paulinha *-* disse...

Adoro contos, poesias e afins que fazem a gente imaginar a cena.. achei esse lindo e singelo. Parabéns

Samuel poeta disse...

Amei seu blog poético, palavras doces e lindíssimas! vou seguí-lo.
Li que vc fez letras e tem bons conhecimentos literários de ordem técnica. Por isso peço que visite meu pequeno blog de poemas e avalie para mim a qualidade de meus escritos. Agradeço muito! BJS!!!!

literatura e cultura livre disse...

oi suzana,

gostaria de convidá-la a participar na pesquisa que estou realizando sobre literatura e cultura livre.

o questionário está disponível neste blog:

www.literaturaeculturalivre.blogspot.com

grata pela atenção!

Samuel poeta disse...

Olá Suzana! espero vê-la em breve em meu blog poético...BJS!!!!

Bruno Batista disse...

Muito bonito!!! Parabéns pela prosa poética! Também escrevo, se tiver curiosidade, dê uma olhada no meu blog: http://acasadosdevaneios.blogspot.com/

Sou um aspirante a poeta...rsrsrsr

Abraços!

Augusto Dias disse...

Que maravilha a descoberta desse mundo, de forma tão delicada e aproveitada.
Tudo de bom!!!

Enrique disse...

Oi ! Tudo bem? : )

Sou o Enrique e faço parte do time da Remix Social Ideas.

Somos uma agência especializada em ações em mídias sociais. Temos trabalhado com várias marcas bacanas e estamos mapeando os blogs mais legais do Brasil.

Se nao for pedir muito, gostaria que você cadastrasse seu blog em nossa base de dados para futuras ações de comunicação de marca ou conteúdo, caso você tenha interesse.

Pra se cadastrar, é super simples: você só precisa preencher esse formulário, clicando no link abaixo.

https://spreadsheets.google.com/viewform?formkey=dFpaZUFtZ0c4VjNneEszWHFkejI1N0E6MA

Qualquer dúvida, já sabe, é só me procurar!

Obrigado pela atenção! : )

Beijos! :*


Enrique Jimenez
@remixingideas
+ 55 11 2768-7702

Priscila Lopes disse...

Oi, Suzana, há tempos eu não aparecia aqui... Que coisa delicada! Um abraço.

Í.ta** disse...

que saudade de teus escritos!

iule Karalkovas . disse...

Adorei o blog.. E o nome é simplesmente divino. Esse texto também... Parabéns, mesmo :)

MONIQUE LEMES disse...

Nossa, que linddooo... Também tenho uma crônica falando de borboletes... da uma olhada no meu blog moniquelemes.blogspot.com

Sid disse...

Palavras assim trazem a saudade; uma vontade de voltar no tempo, àquele mundo de tenra idade, onde o dia passa lento. Quisera esquecer o atroz, fugir deste mundo demente, correr da vida adulta e feroz... Ser de novo inocente.

Parabéns Suzana.